E-mail:
Senha:
Nome:


E-mail:





Vazio

 Notícias

Megafone: informativo SindMusi-RJ/janeiro

Ajude a quem vive de música”. Vitória da solidariedade!

Vitória da solidariedade! Assim pode ser definida a campanha “A música ajuda a viver! Ajude a quem vive de música”, promovida pelo SindMusi-RJ no início da pandemia de Covid-19. Como forma de amenizar os efeitos do fechamento das casas de shows e demais espaços de música ao vivo, que deixou muitos profissionais de música em estado de vulnerabilidade social, o SindMusi lançou a campanha com o objetivo de beneficiar os músicos e suas famílias com um auxílio de 200 reais. A meta de beneficiar os 100 primeiros músicos cadastrados no formulário divulgado pelo SindMusi em seu site foi ultrapassada de forma significativa, atingindo assim ainda mais profissionais.

Trata-se de um marco importantíssimo, pois demonstra que podemos alcançar a tão almejada unidade nas ações da categoria junto ao seu sindicato – trincheira que é na luta pelos interesses dos músicos.

Uma unidade forjada na solidariedade, em uma sociedade onde poucos têm muito e a grande maioria não tem quase nada, não é pouca coisa. É de uma significância enorme.

Para o SindMusi é um privilégio representar uma categoria que se compadece com o outro: que sabe da importância em ajudar com o que tem com aqueles que se encontram desamparados, enquanto realizadores da arte e da cultura, pelo poder público.

A campanha “Ajude a quem vive de música” continua. Deposite qualquer valor no Bradesco, agência 2545; conta-corrente 9480-3; CNPJ: 27.903.624/0001-75

SINDMUSI RELIZA SEU PRIMEIRO CICLO WEBINAR

Um apanhado amplo e enriquecedor sobre as questões de maior interesse da classe musical nos dias de hoje. Assim pode ser definido o 1º Ciclo Webinar do Sindicato dos Músicos do Estado do Rio de Janeiro, que expôs e debateu, on line, inúmeros aspectos da profissão de músico ao longo de três meses do difícil e marcante ano de 2020.

Coordenada pela Diretora de Trabalho do SindMusi, Luciana Requião, a programação teve 20 lives, de setembro a novembro, além de um encontro de encerramento em dezembro, e contou com o apoio da Federação Internacional dos Músicos (FIM) e da organização sindical sueca Union to Union, que apoia o desenvolvimento de sindicatos por todo o mundo.

As exposições, que podem ser acessadas nos endereços do SindMusi no youtube (
https://www.youtube.com/user/SindMusi) e facebook (https://www.facebook.com/sindmusi/videos), contaram com a mediação de músicos, professores e outros profissionais, sempre com uma vinheta de abertura diferente, exibindo documentos históricos da filiação sindical de personagens ilustres da nossa música, ao som de suas memoráveis composições ou execuções.

A jornalista Eunícia Esteves, autora do livro “Acordes e Acordos”, falou sobre a história do sindicato em seu primeiro período, de 1907 a 1941, quando ainda se chamava Centro Musical do Rio de Janeiro. A fisioterapeuta e musicista Carolina Valverde expôs sobre os problemas de saúde mais comuns entre os músicos e sobre as melhores formas de tratamento e prevenção, enquanto o músico e perito judicial Alexandre Negreiros mapeou os atuais problemas e singularidades da arrecadação e distribuição de direitos de autor no Brasil, incluindo a necessidade de pressão político-jurídica para que as plataformas de streaming paguem devidamente os direitos conexos dos músicos acompanhantes.

Outros temas abordados: os caminhos para o aperfeiçoamento em cursos de pós-graduação em música (Renato Borges); planejamento profissional e financeiro na música (Thiago Gomes); desafios e alternativas para o mercado musical em tempos de pandemia (Breno Hirata); novas opções para o músico no “novo normal” (Nelson Faria); protocolos de segurança para músicos de orquestra na pandemia (Her Agapito); “Música é arte, músico é profissão” (Anjo Caldas,); como dar aulas canto e técnica vocal on line (Simone Lial); condições de trabalho dos músicos no metrô do RJ (Flora Milito); políticas culturais (Cassiane Tomilhero); Direito do Trabalho, música e liberdade de expressão (Ludmila Maia e Garcia D’Ávila); os 80 anos da OSB (Ernesto Gonçalves); o ofício do compositor (Tim Rescala); regência de corais (Paulo Malaguti Pauleira); sustentabilidade no mercado musical (Adriano Giffoni); e igualdade de gênero e condições de trabalho (Antonilde Rosa, Márcia Viegas e Marcela Velon).

VENHA PARA O SINDMUSI !!!!

Muitos de nós estamos acostumados a "conversar" com nossos instrumentos, no aconchego do quarto ou sob a luz dos refletores. Mas, quando a coisa aperta, na maior parte das vezes estamos sozinhos, e no meio de uma selva de maus contratantes e condições desfavoráveis de trabalho e remuneração. A grande maioria de nós, individualmente, nada pode fazer para melhorar essa situação.

No entanto, você pode contar com uma forte parceria.

O Sindicato dos Músicos do Estado do Rio de Janeiro é uma instituição com mais de um século de forte atuação em favor do músico. Grandes nomes da nossa música contribuíram na construção dos 110 anos de história de lutas e conquistas do nosso sindicato, como Villa-Lobos, Benedito Lacerda, Rafael Rabello, entre outros.

O SindMusi/RJ é a entidade que representa e defende a classe musical fluminense. É o lugar onde podemos conversar e interagir de igual para igual e, unidos, lutarmos pela melhoria das condições de trabalho na profissão que escolhemos, tal como uma orquestra bem afinada e ensaiada.

Quanto mais sócios tiver, mais forte e representativo o SindMusi/RJ será para encarar um ambiente "musical" que inclui contratos mal feitos ou inexistentes, excesso de trabalho, noites em claro, salários aviltados, atrasados.

A conjuntura atual, mais do que nunca exige de todos união e objetividade. A reforma trabalhista e tantos outros ataques aos direitos cidadãos precisam de enfrentamentos à altura. O sindicato é nossa trincheira de resistência. Não podemos permitir que o projeto de destruição do movimento dos trabalhadores avance com a dissolução dos sindicatos. E isso depende de você, depende de nós.

A música é um componente estratégico para o país. Forte sedimentadora da identidade nacional. Apesar das condições trabalhistas precarizadas, o mercado musical é pujante, com enorme potencial e responsável por 4% do PIB nacional. A música exige respeito e os músicos exigem dignidade.

Fortaleça seu sindicato!

Somente um sindicato forte pode lutar para dar dignidade à nossa profissão!

Entre em contato: e-mail: sindicatodosmusicosrj@gmail.com
facebook:https://pt-br.facebook.com/sindmusi/
Instagram: (@sindmusirj)
Telefone/Whatsapp: (21) 99889-4152

compartilhe:

 

Voltar