E-mail:
Senha:
Nome:


E-mail:





Vazio

 Notícias

Não à venda da Escola de Música da UFRJ

Causou profunda preocupação em setores da comunidade universitária e em diversas entidades acadêmicas e culturais de todo o país uma possível venda do prédio histórico da Escola de Música da UFRJ (foto), situado na Rua do Passeio, 98, no Centro da cidade. Citado em matéria de O Globo do dia 27 de agosto, o prédio faria parte de uma lista 2.264 imóveis no Rio de Janeiro que irão a leilão pelo Governo Federal.

Embora não tenha ocorrido nenhum contato, de acordo com a direção da Escola de Música da UFRJ, por parte do governo sobre o assunto, o SindMusi, sempre presente em defesa da música e dos profissionais e estudantes que compõem este importante segmento da nossa cultura, se junta desde já à luta pela preservação da Escola de Música e do atual prédio que a sedia, sob a administração da reitoria da universidade. O prédio é tombado pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH).

A Escola de Música da UFRJ, em seus 173 anos, foi a primeira instituição de ensino musical do Brasil, tendo contribuído de forma decisiva para a história da música e da cultura no país, bem como na formação de gerações de músicos profissionais.

ESCOLA DE MÚSICA DA UFRJ/BREVE HISTÓRICO*

A edificação principal do prédio que abriga a Escola de Música da UFRJ foi adquirida, em 1855, pelo Governo Imperial, para receber o acervo da Biblioteca Nacional. Em 1910, após a mudança da Biblioteca para a Avenida Central, hoje Avenida Rio Branco, o prédio atual foi construído e, junto com a Rua do Passeio, é considerado Patrimônio Histórico Municipal.

Em 1913, o Instituto Nacional de Música foi transferido para o local, após a construção de um pavilhão de aulas nos fundos da edificação principal, que passou por novas obras, de 1918 a 1922, para abrigar o Salão de Concertos Leopoldo Miguez e a imponente fachada em estilo italiano. O Instituto incorporou-se à Universidade Federal do Rio de Janeiro, em abril de 1931.

Em 1982, na parede externa voltada ao Largo da Lapa, foi pintado o painel Paisagem Urbana, de Ivan Freitas, que reproduz uma paisagem natural e o prolongamento do prédio.

O Salão Leopoldo Miguez merece destaque por sua decoração interna, pelo grande órgão Tamburini localizado ao fundo do palco e pela excelência de sua acústica, considerada uma das melhores do país, sendo utilizado, constantemente, para gravações. Em seu interior, são realizados diversos eventos, entre concertos de câmara, sinfônicos e óperas, além de uma série de atividades, como aulas, ensaios, palestras e formaturas".

*Beatriz Salles, jornalista

compartilhe:

 

Voltar